fbpx
 

 

Você teve uma ideia de negócios brilhante e tem certeza de que ela levará você ao sucesso. E agora? Qual o próximo passo? Continue lendo…

 

A receita antiga para iniciar uma Startup e a morte do Plano de Negócios

Faça a pergunta àcima para boa parte dos professores de Administração old school (geralmente aqueles que adoram usar PowerPoint em sala de aula e passaram a maior parte de suas carreiras dando aula e não em frente aos clientes) e a primeira reação deles será “Faça um Plano de Negócios”. De acordo com a receita de mais de 10 anos atrás, você 1) faria um Plano de Negócios prevendo os próximos 5 anos de empresa, 2) apresentaria seu Plano de Negócios completo para investidores esperando causar uma boa primeira impressão, 3) reuniria uma equipe, 4) desenvolveria um produto e 5) daria seu máximo para vendê-lo. E, claro, em alguma etapa deste processo “claro e bem definido”, você sofreria desafios e as coisas iriam por caminhos que você não tinha previsto. Afinal – as chances estão contra você pois, segundo uma pesquisa realizada pela Harvard Business School, mais de 75% das startups falham.

Esse abordagem antiga para iniciar uma startup possui diversas falhas pois ela parte de um princípio da metodologia “cascata” (Waterfall) onde existe um investimento pesado de horas/homem antes de se levar um produto para feedback dos clientes e usuários. Agora que você investiu dois meses criando seu Plano de Negócios perfeito, 2 meses negociando com investidores perfeitos, 1 mês recrutando sua equipe perfeita e 4 meses desenvolvendo seu produto perfeito – será que os clientes e usuários vão gostar? Se eles não gostarem o suficiente para comprar de você, é muito provavel que sua startup e seu produto incrível vão por água abaixo.

Então, o que aprendemos sobre startups após todos esses anos?

  • Planos de Negócios raramente sobrevivem o primeiro contato com o cliente. Como o boxeador Mike Tyson uma vez disse “Todo mundo tem um plano até levar um soco na boca.”
  • Ninguém além de grandes Venture Capitalists e da antiga União Soviética exige planos para 5 anos de previsão do imprevisível.  Esses planos são apenas “sonhos” e investir tempo em “sonhar” eles quase sempre é uma perda de tempo.
  • Startups não são versões menores de grandes empresas. Elas não estão sujeitas aos limites de “planos e metas corporativos”. Hoje, as startups que são bem sucedidas têm muita pressa em cometer erros ao invés de investir meses planejando para tentar não errar. Elas são altamente velozes e adaptáveis e vão melhorando suas ideias junto com os clientes e usuários de seus produtos.

A resposta para as startups modernas: Lean Startup

A metodologia que ficou conhecida como Lean Startup foi criada por Eric Ries em seu livro The Lean Startup. Imediatamente após seu lançamento, a comunidade global de startups adotou essa metodologia como sendo a melhor prática para gerenciamento de startups. Seguem 3 dicas para iniciar uma startup de sucesso usando Lean Startup:

1. Faça um rápido Canvas e vá coletar feedback com seus clientes

O primeiro princípio da metodologia Lean Startup é que você deve entender que tudo que você tem antes de perguntar para seu cliente são hipoteses não testadas. Em outras palavras, antes de você aprender com seus clientes, suas ideias do que pode ou não dar certo são baseadas em “achismo”. Então vá errar junto a seus clientes! Deixe que eles te digam quais seus erros e acertos ao invés de presumir que você está certo. O primeiro passo para uma startup seguindo a metodologia Lean Startup é preparar um Canvas incluindo todos os 9 blocos de seu modelo de negócio (proposição de valor, preços, canais de distribuição, parceiros, etc – veja o exemplo abaixo) e sentar com seus clientes & usuários para obter seu feedback sobre todo o modelo de negócios. Não tenha medo de mostrar todos os aspectos de sua ideia – afinal, ideias não valem nada enquanto são só ideias.

canvas nicolasbueno.com lean startup

2. Após pedir feedback, faça rápidas modificações e vá pedir mais feedback!

Esse processo de colaborar com clientes para rapidamente melhorar um modelo de negócio é conhecimdo como Customer Development (ou desenvolvimento do cliente). Segundo a metodologia Lean Startup, as startups devem executar esse processo em ciclos continuos focando em 1) lançar um MVP (Minimum Valuable Product ou Produto Minimamente Viável) e 2) trazer o cliente para parte da equipe no intuito de melhorar esse MVP produto através de interações curtas com pequenas entregas (se você trabalha com software, você pode estar pensando “Esse princípio até me lembra das melhores práticas de métodos ágeis como SCRUM, Sprints, etc. – e essa é justamente a terceira dica a seguir). Isso significa que você deve lançar novas versões de seu produto preferencialmente uma vez por semana ou a cada 15 dias, evitando aquela história de investir muitas horas/homem sem poder receber feedback do cliente.

3. Seja ágil (Agile) ao desenvolver seu produto

A metodologia agile para desenvolvimento de software está no coração do processo de desenvolvimento de produtos da Lean Startup. São fatores como as curtas sprints da Scrum e as stand up meetings diárias entre desenvolvedores e clientes aliadas à noção de que menos é mais quando o assunto é escopo que possibilitam grande velocidade para sua startup desenvolver um produto mais incrível a cada sprint. Não há como sua startup se tornar uma Lean Startup sem as melhores práticas dos métodos ágeis para gerenciamento de projetos relacionados ao seu produto. Literalmente todas as startups de software bem sucedidas que ficaram conhecidas por aí utilizam estes princípios. Por exemplo, a equipe do eBay faz em torno de 40 modificações de código em produção por dia e usa de métodos avançados de Big Data para coletar feedback de milhões de usuários todos os dias.

Espero que essas dicas te ajudem com sua próxima startup de sucesso! Se você tem dúvidas sobre esse post ou sugestões para próximos assuntos, me mande um e-mail direto para nicolas@nicolasbueno.com que será um prazer falar com você!

Gostou? Compartilhe!